BPM

Datasource G5/G6 no BPM - Serviço customizado

1102 views 02/12/2018 14/09/2020 daniel-huebes 1

Com o Senior X Platform aberto e autenticado com privilégio de administrador, acessar o menu “Senior X Platform -> BPM -> Fontes de dados” e clicar em “Adicionar”.

Formato: Para a chamada de webservices, deve-se selecionar a opção JSON.

Nome: Este é o nome do Data source que será exibido no BPM na criação de um processo. Para este exemplo, informe “Formação”.

URL: Indica a URL do webservice customizado na G5.

Exemplo:
http://ServerG5/SXI/G5Rest?server=ServerG5&module=rubi&service=com.senior._wf_utilscust&port=getColaboradorCust&DATASOURCEATTRNAME=colaboradores

  • ServerG5: Deve ser substituído pelo endereço do servidor glassfish onde foi instalada a API e estão disponibilizados os webservices G5, importante estar exposto na internet para acesso externo.
  • server: Deve ser substituído pelo endereço do servidor glassfish onde estão disponibilizados os webservices G5, se for o mesmo da API SXI, pode-se utilizar localhost.
  • module: Nome do módulo onde está o webservice customizado.
  • service: Nome do webservice customizado.
  • port: Porta do webservice customizado.
  • DATASOURCEATTRNAME: Objeto raiz que retornará os itens da fonte de dados, será o mesmo que informado no cadastro da fonte de dados.
  • DEBUG: Quando informado com o valor ‘true’, ajuda a diagnosticar problemas de integração do webservice, as mensagens de logs serão adicionados no log do glassfish.

Objeto raiz: Indica o parâmetro do JSON que retornará os itens da fonte de dados.

Lista de campos: São os retornos da consulta. É importante que os nomes dos campos tenham o mesmo nome do retorno do serviço.

Para testar o retorno do webservice customizado, é indicado a utilização do Postman ou outra ferramenta similar.
Assim, é possível diagnosticar problemas de integração, validar nome de campos e formato das integrações.

Este artigo foi útil para você?